MARLENA DE BLASI | MIL DIAS EM VENEZA


Mil Dias em Veneza é uma obra autobiográfica da jornalista e chef americana Marlena de Blasi. Ele conta como em uma viagem à Itália, ela conheceu e se apaixonou por um italiano e largou tudo para ir morar na romântica Veneza.

A história fez bastante sucesso e ela acabou lançando mais dois livros no mesmo estilo, Mil Dias na Toscana e A Doce Vida na Úmbria; dois romances baseados em histórias reais coletadas pela autora em suas viagens pelo país, Um Certo Verão na Sicília e Antônia e Suas Filhas; um romance de ficção chamado Amandine e um punhado de livros de receitas.

A história

Marlena já não era mais uma garota quando descobriu o amor. De fato, já tinha dois filhos adultos e bem encaminhados na vida quando, em uma viagem de trabalho para pesquisar os tradicionais bares de vinho em Veneza, chamados bacari, conheceu Fernando, o homem que viria a se tornar seu marido em poucos meses.

Era o ano de 1993. Marlena estava com amigos bebericando Amarone, quando um garçom a avisou que tinha uma ligação esperando por ela. Do outro lado da linha, uma voz masculina pergunta se ela pode encontrá-lo no mesmo lugar e horário no dia seguinte.

É preciso mais algumas tentativas por parte de Fernando até que Marlena aceite se encontrar com o estranho. Ficamos sabendo então, que o italiano a hava visto pela primeira vez um ano antes, em outra viagem de trabalho, mas lhe faltou coragem para abordá-la na rua. Ele nunca a esqueceu. Quando o destino a colocou em seu caminho novamente, dessa vez no mesmo restaurante onde ele almoçava, Fernando decidiu aproveitar a segunda chance que a vida parecia estar lhe oferecendo. E valeu à pena.

À partir daí, a história se desenrola com rapidez e acompanhamos os primeiros encontros do casal, as barreiras de idioma (Marlena não falava italiano e o inglês de Fernando era sofrível), a venda de seu restaurante e casa nos Estados Unidos e a mudança para Lido (pequena ilha vizinha à Veneza), os problemas do dia a dia entre duas pessoas provenientes de duas culturas bem diferentes, a charmosa Veneza lentamente conquistando a afeição da autora e, finalmente, o casamento e uma grande decisão tomada que irá mudar a vida dos protagonistas ainda mais uma vez .

Por que eu devo ler o livro Mil Dias em Veneza?

Se você gosta de ler livros sobre jornadas de autodescobrimento e viagens por outros países, Mil Dias em Veneza é um dos melhores do gênero. A autora tem um estilo de escrita bastante descritivo, então não é difícil se sentir ao lado dela comprando os tomates mais lindos do mundo no mercado de Rialto, assistindo ao sol se pôr em um passeio no vaporetto número 1, comendo um cornetti crocante na Pasticceria Maggion no Lido ou assistindo ao céu veneziano iluminado pelos fogos de artifício da Festa del Redentore.

Para as mais românticas, a perspectiva de encontrar o amor em outro país é também um dos grandes atrativos desse livro. Nas palavras da autora você consegue ter uma visão mais ou menos realista desse tipo de relacionamento, já que mais do que flores no caminho, nós conseguimos perceber o quanto Marlena precisou se adaptar e abrir mão de certas coisas para poder viver esse romance.

Por outro lado, uma das minhas coisas preferidas da história é o evidente amor de Marlena pela comida. Ela não só descreve os diversos pratos diferentes que prova na Itália como, para minha imensa alegria, ainda acrescenta receitas dessas iguarias no final da edição. Para quem planeja visitar o país como eu, é mais uma oportunidade para fazer uma listinha de todas as coisas maravilhosas que eu quero provar por lá.

Por que eu devo visitar Veneza?

Para começar, se uma visita à Veneza faz parte da sua bucket list é bom correr, já que a cidade afunda um pouquinho todos os anos. A vida é muito imprevisível – você nunca sabe quando um vulcão vai explodir no Chile, um terremoto vai destruir boa parte do Nepal ou terroristas irão derrubar templos milenares na Síria e assim roubar sua chance de conhecer lugares incríveis.

Se você curte história e aprecia a importância do passado por trás dos lugares, Veneza é sem dúvidas o destino certo para você. A cidade existe há quase mil anos e já foi um importante centro comercial da Idade Média, tendo assistido diversos eventos históricos, como a peste negra que assolou a Europa durante o século XIV, o poder quase ilimitado dos doges, a vida devassa e depois o aprisionamento de Casanova e até o nascimento de Antônio Vivaldi, importante músico clássico italiano.

Por fim, não há muitos lugares do mundo que tem o charme de Veneza, com seus inúmeros canais, sacadas floridas, pontes de arquitetura intrincadas e lojinhas encantadoras com livros antigos, bijuterias vintage, figuras em vidro trabalhado e coloridas máscaras de porcelana. Uma cidade sem igual que vai te cativar à primeira vista.

Guaxinim, e quanto às receitas do livro Mil Dias em Veneza?

Ok. Se você ficou na vontade, eu vou dividir uma das receitas da Marlena de Blasi com você – com a promessa de que se você fizer o prato algum dia, nos envie uma foto contando sua opinião, ok?

Quando servi esse prato ao estranho em Saint Louis, na primeira vez em que jantamos juntos, ele me disse imediatamente que não gostava de alho-poró. Eu contei uma mentirinha inocente e disse que aquilo na verdade era echalota, e ele deixou o prato tão limpo que quase nem precisei lavá-lo depois.

Marlena de Blasi

 

ALHO-PORÓ GRATINADO

 

Ingredientes

12 alhos-poró médios (aproximadamente 1,5 kg) cortados em rodelas finas (apenas a parte branca)

2 xícaras de queijo mascarpone

1 colher de chá de noz moscada ralada

1 colher de chá de pimenta do reino moída

1 e 1/2 colher de chá de sal

1/2 xícara de grappa ou vodka

2/3 xícara de queijo parmesão ralado

1 colher de sopa de manteiga sem sal

 

Modo de Preparo

Ponha as rodelas de alho-poró em uma tigela grande. Em uma tigela menor, junte todos os outros ingredientes com exceção do queijo parmesão e manteiga, e misture bem. Acrescente esse creme ao alho-poró e, usando dois garfos, envolva bem toda a verdura. Distribua o alho-poró em um refratário untado com a manteiga, salpique o queijo parmesão ralado por cima da mistura e leve ao forno (cerca de 200°) por 30 minutos ou até que forme uma crosta dourada. Rende 6 porções.

Se você curtiu esse artigo, apóie O Guaxinim Viajante e compartilhe esse post nas redes sociais! ☟

Aline
Aline
About me

Meu nome é Aline. Leitora compulsiva e aspirante a blogueira, vivo sonhando acordada com lugares que nunca conheci e me preparando para um apocalipse zumbi. Meu sonho é ganhar dinheiro sem precisar trabalhar, para alimentar meu vício em viagens. ✎ aline@oguaxinimviajante.com.br

YOU MIGHT ALSO LIKE

Livre Cheryl Strayed 4
CHERYL STRAYED | LIVRE
November 06, 2015
Europa Italia Florenca
MÚSICAS ITALIANAS
October 06, 2015
Sob o Sol da Toscana Frances Marcello
SOB O SOL DA TOSCANA
October 04, 2015

Leave a comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *